STAR Clinic

STAR Clinic

Chapadinha Gás

Chapadinha Gás

Gráfica Editora Escolar

Gráfica Editora Escolar

Lojas Super Lar

Lojas Super Lar

Armazém Paraíba

Armazém Paraíba

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Deputado quer ‘delação premiada’ para jogadores

O deputado Paulo Neto (PHS - foto ) confirmou nesta segunda-feira (19), a denúncia feita ao blog de Décio Sá (Imirante.com), que o Chapadinha recebeu R$ 50 mil para entregar o jogo ao Viana. “Não é só eu que digo isso. É Chapadinha inteira”, declarou.

O parlamentar disse que iria propor em discurso na Assembleia Legislativa que os jogadores do Galo da Chapada participem da chamada “delação premiada”, em acordo com a Federação Maranhense de Futebol (FMF), para evitarem serem banidos do esporte. Ele confirmou que vários atletas sumiram da cidade.

O líder do governo, Chico Gomes (DEM), com forte atuação política em Viana, também iria se pronunciar na Assembleia. O presidente do Moto Clube, Cleber Verde (PRB), pode fazer discurso na Câmara dos Deputados sobre o caso. O deputado é apontado pelos torcedores como um dos principais responsáveis pelo rebaixamento do time para segunda divisão.

A informação de que os 11 a 0 do Viana contra o Chapadinha teria custado R$ 50 mil, dada em primeira mão pelo blog (do Décio Sá), ganhou repercussão nacional. O Globoesporte.com deu no último domingo (18), a notícia citando a página (veja reprodução acima e aqui).

O repórter Cahê Mota, enviado especial ao Maranhão, trouxe outra matéria escandalosa envolvendo o Rubro- Negro maranhense: o zagueiro Grafite teria recebido propina para facilitar a vitória do Chapadinha por 4 a 1, numa partida anterior da Taça Cidade de São Luís.

De acordo com os torcedores, o jogador, bastante xingado durante todo o intervalo do jogo no último domingo (18), quando o Moto perdeu de 2 a 0 para o Iape, teve participação direta em três gols, e o prefeito de Santa Quitéria, Manin Leal (DEM), 52 anos, teria denunciado o acordo.

- O Moto apanhou do Chapadinha, e o prefeito de Santa Quitéria fez a denúncia. Disse na cara do Grafite que ele se vendeu para dar os quatro gols. Por coincidência, ele fez a falta em um gol, um pênalti e outro saiu em falha dele. É a prova de que ele se entregou – esbravejou o torcedor Geraldo Coutrin.

Acuado no banco de reservas, Grafite se defendeu. O zagueiro admitiu que não vive um bom momento, mas negou veementemente que tenha recebido qualquer tipo de suborno. Revoltado, prometeu buscar seus direitos na Justiça.

- A torcida está revoltada porque eu joguei mal. Não fui bem mesmo. Dizem que têm gravado que eu recebi propina para perder o jogo. Eles vão ter que provar no tribunal. É a minha imagem que está em jogo. Eu tenho família, tenho um nome a zelar. Em momento algum conversei com gente do Chapadinha. Estão querendo acabar com a minha carreira.
Leia mais aqui.
Blog Décio Sá - Imirante.com

Nenhum comentário:

Arquivo do blog