Star Clinic

Star Clinic

Gráfica Editora Escolar

Gráfica Editora Escolar

Armazem Paraíba

Armazem Paraíba

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Educação: Nós, "Nóis" e Outros Nós

www.alexandre-pinheiro.blogspot.com
Corre no folclore político local uma passagem prá lá de pitoresca. A história é a seguinte: houve um movimento de professores por melhoria de salário no tempo em que o prefeito era Zé Almeida (1983-1988). Em reunião no gabinete, depois de ouvir o prefeito argumentar que o município não poderia conceder aumento (naquela época não havia FUNDEF ou FUNDEB e os recursos eram mesmo prá lá de escassos) uma professora, após breve pausa, sapecou a pergunta-pérola: - E aí Dr. José, como é que “nóis fica”? - Professora Fulana de Tal, é por essas e outras que nós ficamos do jeito que estamos, respondeu Zé Almeida.

Humor a parte, o último movimento grevista trouxe questões importantes que merecem uma análise mais detida por parte daqueles que têm compromisso com a educação.

Inegavelmente o Sindicato (Sindchap), está no seu papel de lutar pela ampliação dos ganhos e conquistas da categoria; como também, da mesma forma, o governo municipal age como espera toda a sociedade ao colocar o equilíbrio financeiro como limite para a desejável concessão de melhoria salarial dos servidores.

Pelo que se extrai do entendimento, dentro de breve espaço de tempo, depois de superadas algumas incorreções no Plano de Cargos anterior e posterior votação na Câmara de Vereadores, a prefeitura cumprirá o estabelecido nele e, como conseqüência, os salários dos servidores serão aumentados.

A dignidade e segurança dos funcionários públicos passam irrecorrivelmente por salários. Contudo uma vez ultrapassado este momento, que se tudo correr bem será breve, teremos de colocar a qualidade dos serviços, em especial da educação, na pauta do dia.

Hoje temos praticamente todas as crianças em idade escolar matriculadas e freqüentando aulas. Diante de tal constatação é dever da sociedade verificar o que de fato estas crianças estão aprendendo. Saber se o simples fato de sentarem nos bancos escolares os livra do chamado analfabetismo funcional.

Não bastasse isso, a prefeitura vem, nos últimos nove anos, investindo pesado na qualificação dos professores. Começou pela UESPI e segue envolvendo várias instituições de ensino superior. É hora, pois, de a sociedade tirar a prova dos nove pra saber se tal investimento valeu mesmo a pena.

Como pano de fundo de campanhas salariais, qualidade da educação é palavra gasta, mas, como disse certa vez Paulo Freire “é fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal forma que, num dado momento, tua fala seja tua prática”. Fazemos isso ou “nóis fica” do jeito que estamos.
Imagem ilustrativa

Nenhum comentário:

Arquivo do blog