Chapadinha Gás

Chapadinha Gás

Gráfica Editora Escolar

Gráfica Editora Escolar

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Os Sanguessugas de Chapadinha e os Descasos com a Saúde Pública

Por: Herbert Lago Castelo Branco
www.herbertlago.blogspot.com

São raros os ângulos de análise que permitem uma visão
animadora do cenário e dos rumos da saúde pública de Chapadinha, enredada numa teia de deficiências, com problemas de desvios de recursos públicos e de má gestão, entre as quais se destacam as preocupantes ressalvas no relatório do Conselho Municipal de Saúde de Chapadinha, que reprovou por 10 a 8 votos as contas da Secretaria Municipal de Saúde do exercício de 2009, por ter constatado inúmeras irregularidades tais como: salários exorbitante, acima de R$ 20.000,00 (vinte mil) pago a assessores, 18.720 consultas ao ano, fora as 96.858 de emergência totalizando 115.678 consultas, número bem acima do normal, reforma sem licitação R$ 327.645,11, alugueis sem contrato e destinação R$ 168.000,00, arrendamento hospitalar a revelia e sem a anuência do Conselho R$ 1.407.073,70 e combustível R$ 435.440,75 sem registro de placa e itinerários dos veículos que foram abastecidos.

Sem contar com o pagamento de “servidores públicos” fantasmas, as 2 toneladas de carne bovina de primeira e 1 tonelada de frango com valor superfatura ao preço de R$ 5,50 o quilo, só os valores acima descritos perfaz um total de 2.358.158,56. Isso mesmo, (dois milhões trezentos cinquenta e oito mil cento cinquenta e oito reis e cinquenta e seis centavos). Por bem, pelo menos o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda foi preso e cassado.

Justificar Tal fato não poderia ser tão trágico se não soubéssemos que as contas referente ao ano de 2008 também não foram aprovadas. Portanto, as deficiências talvez não se devam exatamente à sempre alegada falta de verbas, mas sim a um conjunto de fatores, incluindo a falta de caráter, honestidade, competência e planejamento para gastá-las bem.

Essas rábidas pinceladas traçam um quadro da saúde de Chapadinha, mas não esgotam suas nuances, pois muitas das causas têm origem em gestões passadas. Mas não se pode olhar apenas pelo retrovisor, pois é preciso mirar à frente para chegar ao destino desejado. Por isso, é mais do que hora de pensar em soluções para tirar a saúde publica de Chapadinha do estado em que se encontra.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog