STAR Clinic

STAR Clinic

Chapadinha Gás

Chapadinha Gás

Gráfica Editora Escolar

Gráfica Editora Escolar

Dra. Ticiana Veras

Dra. Ticiana Veras

Landry Móveis

Landry Móveis

Armazém Paraíba

Armazém Paraíba

terça-feira, 28 de junho de 2011

Justiça nega habeas corpus a vereador de Santa Quitéria

Foi negado, nessa terça-feira (28), o pedido de liberdade para Valdimar dos Santos Carvalho (foto), conhecido como "Mosquito", vereador do município de Santa Quitéria (distante 101 km de Chapadinha). Ele está preso desde 18 de fevereiro, quando foi acusado de integrar quadrilha de assalto a bancos. A decisão foi da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), por unanimidade e seguindo o parecer da Procuradoria Geral de Justiça.

Carvalho foi preso preventivamente no dia 18 de fevereiro de 2011, por supostamente fazer parte de uma quadrilha de assaltantes de banco, que, no dia 3 de fevereiro deste ano, invadiram a agência do Bradesco, em Santa Quitéria, e, após ameaças, levaram dinheiro da agência e de clientes da referida instituição financeira. Segundo consta das investigações, o réu teria fornecido o armamento, de grosso calibre, para a quadrilha efetuar o roubo.

A defesa do réu ajuizou habeas corpus alegando não existir razões para manter o vereador na prisão, pois esta não preenchia os requisitos legais. O relator, desembargador Raimundo Melo, ao julgar o mérito do habeas corpus, entendeu que o Valdimar é um elemento de alta periculosidade e já responde a outro processo por crime de roubo a banco, no Estado do Pará.

Melo, durante a sessão, ressaltou, ainda, que “o crime de roubo é cometido mediante grave ameaça e violência contra a pessoa e por isso deve ser repelido e energicamente punido, pois se verifica atualmente a liberalidade, em que se considera natural a permanência de criminosos nas ruas, livres e com sentimento de impunidade, enquanto os cidadãos, como ovelhas, trancam-se em suas casas, rezando para não serem sorteados. Isto é, para não cair nas mãos dos lobos, que multiplicam suas condutas exatamente por falta da devida repressão”.

Os desembargadores José Luiz Almeida e José Bernardo Rodrigues acompanharam a decisão.
 
(98) 2106-9023/9024

Nenhum comentário:

Arquivo do blog