Chapadinha Gás

Chapadinha Gás

Gráfica Editora Escolar

Gráfica Editora Escolar

quinta-feira, 28 de março de 2019

CHAPADINHA | Júri Absolve Acusado de Tentativa de Homicídio, Feminicídio e Ameaça à Ex-Companheira

A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Lourival Soares, área interna
Às 19h40, o julgamento em andamento. O advogado
de defesa, Dr. Lourival Soares finalizando a tréplica.
Foto: William Fernandes )

Por: Sousa Neto*

Nesta quarta-feira (27) em sessão plenária, após júri o dia todo, e debates, por volta das 21h, o Tribunal do Júri da Vara Criminal da comarca da justiça de Chapadinha absolveu o cantor Luiz Carlos (o "Carlinhos") da acusação de tentativa de feminicídio, homicídio e ameaça. Os trabalhos ocorreram no Fórum Ministro Edson Carvalho Vidigal.

À frente dos trabalhos atuou a juíza Welinne de Souza Coelho; A acusação foi feita pelo Ministério Público - representado pelo promotor de justiça Dr. Gustavo Dias; e atuaram na  defesa os advogados Lourival Soares e Lauro Lima.



O réu - primário e não tem antecedentes criminais, o cantor Luís Carlos que está preso há um ano e cinco meses, é acusado por tentativa de feminicídio, homicídio e ameaça contra sua ex-mulher. O fato se deu em 2017, quando ele a atingiu com o carro. Ela estava com um homem em uma moto.

Carlinhos foi condenado apenas por lesão corporal - o que impõe 6 meses de detenção, período esse que ele já cumpriu visto que está preso há quase um ano e meio (exatos 17 meses e 03 dias). O advogado de defesa, Dr. Lourival Soares não descarta processar o Estado por danos morais, visto o excesso de detenção do cliente.

Por volta das 21h, reunidos em sala secreta, os jurados (07 pessoas) acolheram as teses da acusação e da defesa e decidiram absolver o réu. Por fim, observando a decisão do Conselho de Sentença, a juíza titular da Vara, Welinne de Souza Coelho absolveu o réu dos crimes imputados.

Ainda cabe recurso da decisão por parte da acusação (Ministério Público), entretanto o advogado de defesa Lourival Soares descarta essa possibilidade. "O Conselho de Sentença é soberano e o tribunal só anula uma decisão dessas quando as provas são contrárias às provas dos autos, e não houve. Ficamos satisfeitos com a decisão, que acatou a nossa tese de defesa – comentou o advogado".


*Com informações do Blog William Fernandes


publicidade


Nenhum comentário:

Arquivo do blog