Dra. Maryane Veras

Dra. Maryane Veras

INTERNET DE QUALIDADE É COM A...

INTERNET DE QUALIDADE É COM A...

Hortifruti Fernandes

Hortifruti Fernandes
Travessa 15 de Novembro - Centro (ao lado da extinta Escola Amélia Almeida / Semáforo)

Star Drinks

Star Drinks

Posto Ipiranga / Chapadinha

Posto Ipiranga / Chapadinha

sexta-feira, 21 de julho de 2017

ANAPURUS - Deputado Wellington do Curso Cobra Nomeação dos Aprovados no Concurso Público

Wellington em audiência com o Ministério Público sobre aprovados de Anapurus

"Já que há necessidade, por que não nomear os concursados?", diz deputado Wellington em audiência com o Ministério Público sobre aprovados de Anapurus.

Assecom/ Dep. Wellington do Curso

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) esteve, na manhã desta quinta-feira (20), no município de Brejo. O objetivo da visita foi entregar ofício à Promotora titular da Comarca, Herlane Carvalho, que atende às demandas de Anapurus. A solicitação remete à cobrança de um posicionamento do Ministério Público quanto à nomeação dos aprovados no último concurso do município.

Durante a reunião, Wellington, que já realizou uma audiência pública no município, reafirmou o seu compromisso com os aprovados no concurso público.

"Inicialmente, os aprovados no concurso de Anapurus visitaram o nosso gabinete na Assembleia e solicitaram que fosse realizada uma audiência pública. Realizamos a audiência, coletamos dados e informações e apresentamos ao Ministério Público as denúncias em maio. Voltamos aqui para solicitar uma resposta, já que, até o presente momento, não houve nomeação alguma. Já que há necessidade, por que não nomear os concursados? Por que contratar de forma sucessiva? Nosso compromisso é com cada um de vocês que estudou, se dedicou e obteve a aprovação", pontuou Wellington.

No Judiciário, a titular da Comarca de Brejo, a juíza Conceição Rêgo, tem concedido parecer favorável aos mandados de segurança impetrados por aprovados, deixando claro que é direito de cada um ser nomeado.

"(...) não seria mais razoável que se contratasse temporariamente aqueles que, em tese, seriam mais aptos a exercerem as funções? Ou seja, os APROVADOS, já que impossível que se atribua a todos eles a partição em fraudes?", afirma a juíza em decisão expedida no dia 13 de julho de 2017.



Publicidade



Postar um comentário

Arquivo do blog