STAR Clinic

STAR Clinic

Chapadinha Gás

Chapadinha Gás

Gráfica Editora Escolar

Gráfica Editora Escolar

Armazém Paraíba

Armazém Paraíba

sábado, 27 de março de 2010

Má conservação de vias motivou ação do Ministério Público

O Ministério Público do Maranhão garantiu, em meados do mês de fevereiro do corrente ano, por meio de uma medida Liminar, o fechamento da Avenida Ataliba Vieira de Almeida, em Chapadinha, e a correta sinalização das obras realizadas na via. A decisão foi tomada a partir de uma Medida Cautelar Inominada proposta pelo titular da 2ª Promotoria de Justiça de Chapadinha, Fábio Menezes de Miranda (foto à esquerda).

Em março de 2009, o promotor de Justiça já havia relatado à prefeita de Chapadinha, Danúbia Loyane Almeida Carneiro (foto à direita), as condições precárias de tráfego nas vias do município, em especial na Avenida Ataliba Vieira de Almeida. Na época, o promotor Fábio Miranda recomendou ao executivo municipal que fossem tomadas providências para evitar acidentes e garantir a segurança dos transeuntes. Nenhuma medida, no entanto, foi tomada e, com a ocorrência das chuvas, a situação se agravou.

De acordo com o promotor, o pior trecho da avenida estava sendo o que fica em frente ao cemitério São Judas Tadeu, entre as ruas Antonio Rodrigues da Mata e Genésio Lopes Moreira. O local estava repleto de buracos imersos em poças d´água que alagavam a quase totalidade da pista, escondendo pontos perigosos, especialmente para ciclistas e motociclistas, que não têm noção da profundidade dos buracos e podem sofrer lesões corporais graves em caso de queda.

Outro problema, na mesma avenida, era a sinalização feita nos trechos que estavam sofrendo reparos, ao redor dos quais estavam sendo colocados círculos formados por pedras. A falta de sinalização de que aquele era um trecho em obras aliada à pouca iluminação transformava as pedras em verdadeiras armadilhas, que poderiam causar outros acidentes.

A Liminar deferida pela juíza Andréa Furtado Permutter Lago previa que a passagem de veículos na avenida Ataliba Vieira de Almeida, no trecho localizado em frente ao cemitério, fosse suspenso até que a mesma estivesse em condições de tráfego. Para isso, deveriam ser colocados obstáculos com placas que identificassem a interdição da via por ordem judicial. A prefeitura de Chapadinha teria, ainda, que substituir as pedras colocadas nos trechos em recuperação por sinalização adequada, indicando as obras realizadas, e que não causasse riscos à população.

A medida liminar previa um prazo de 24 horas para a tomada de providências por parte da prefeitura. Caso houvesse descumprimento da decisão, o município estaria sujeito a multa diária de R$ 5 mil.
Com informações CCOM-MPMA (12.02.2010)

Nenhum comentário:

Arquivo do blog